Amor não se vive de teorias…

Author: Vcustomizando  /  Category: Literário, Outros Momentos

 

“O amor não vive de teorias, o amor tem que ser dito, mais que isso, tem que ser demonstrado. Mas só o amor não basta, acredito que para um relacionamento dar certo, além do amor, é necessário a combinação de 4 outros sentimentos: amizade, respeito, fidelidade e confiança. Amizade, porque um casal antes de tudo tem que ser amigos, ter cumplicidade, ter companheirismo, ter intimidade pra falar sobre todos os assuntos, ter uma boa conversa é essencial, saber falar e ouvir o outro, afinal, é conversando que a gente se entende. Respeito, porque respeito é bom e todo mundo gosta, é clichê eu sei, mas é a mais pura verdade, tem que ter admiração pelo o que a outra pessoa é, respeitar, aceitar e entender que todo mundo tem suas diferenças e seus defeitos. Fidelidade é essencial, nenhum relacionamento sobrevive à traições, não me refiro à apenas “traições sexuais”, beijar ou transar com outra pessoa, existe outras formas de traições, enganar e mentir é uma delas, ser fiel é questão de caráter, e caráter você tem, ou não. E por último confiança, afinal, não adianta nada você ser completamente fiel, se a outra pessoa não confia, não acredita em você. Confiar pra contar segredos, confiar pra pedir ajuda, confiar pra deixar a pessoa livre, sem medos, sem receios. O amor por si só não basta, ele precisa de algo à mais, uma base pra sustentá-lo, uma segurança extra, da mesma forma que falar apenas não basta, o amor não sobrevive à teorias, o amor tem que ser provado na prática, quando a outra pessoa sabe que é amada porque você fala, e sente-se amada porque você demonstra. Amar não é fácil, mas ser amável é bem mais difícil. Ainda acredito que exista amores eternos, desses que o tempo não apaga, não separa, não destrói, mas para isso ambas as partes tem que ter maturidade o suficiente pra saber que dias ruins sempre virão, e que não vale à pena sacrificar todos os momentos bons por causa de uma crise, brigas fazem parte do relacionamento; que sinceridade é essencial e que uma boa conversa às vezes ajuda muito; que sexo é bom, mas não é tudo em uma relação, não dá pra resolver todos os problemas indo pra cama, amor nem sempre é jogo de sedução; mas principalmente a pessoa tem que querer ficar, sem medos, sem bloqueios, sem armaduras, tem que querer ficar mesmo com brigas, com diferenças, com falta de dinheiro, tem que querer ficar e aguentar o tranco, segurar firme a barra e nunca pensar em desistir e ir embora, tem que querer ficar porque o amor é mais forte que tudo isso, porque os momentos bons compensa as fases ruins, porque sabe que amar não é fácil, e mesmo assim é a melhor coisa que podia ter acontecido na sua vida.” (Amanda Sanches)

Como explicar o Amor

Author: Vcustomizando  /  Category: Literário, Outros Momentos

Contam que, uma vez, se reuniram os sentimentos e qualidades dos homens em um lugar da terra.

Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhes propôs:

– Vamos brincar de esconde-esconde?

A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE, sem poder conter-se, perguntou: Esconde-esconde? Como é isso?

– É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos e começo a contar de um a um milhão enquanto vocês se escondem, e quando eu tiver terminado de contar, o primeiro de vocês que eu encontrar ocupará meu lugar para continuar o jogo. O ENTUSIASMO dançou seguido pela EUFORIA.

A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou convencendo a DÚVIDA e até mesmo a APATIA, que nunca se interessava por nada.

Mas nem todos quiseram participar.

A VERDADE preferiu não esconder-se, para quê? Se no final todos a encontravam?

A SOBERBA opinou que era um jogo muito tonto (no fundo o que a incomodava era que a ideia não tivesse sido dela) e a COVARDIA preferiu não arriscar-se.

– Um, dois, três, quatro… – começou a contar a LOUCURA.

A primeira a esconder-se foi a PRESSA, que como sempre caiu atrás da primeira pedra do caminho.

A FÉ subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço, tinha conseguido subir na copa da árvore mais alta.

A GENEROSIDADE quase não consegue esconder-se, pois cada local que encontrava lhe parecia maravilhoso para algum de seus amigos – se era um lago cristalino, ideal para a BELEZA; se era a copa de uma árvore, perfeito para a TIMIDEZ; se era o voo de uma borboleta, o melhor para a VOLÚPIA; se era uma rajada de vento, magnífico para a LIBERDADE. E assim, acabou escondendo-se em um raio de sol.

O EGOÍSMO, ao contrário, encontrou um local muito bom desde o início. Ventilado, cómodo, mas apenas para ele.

A MENTIRA escondeu-se no fundo do oceano (mentira, na realidade, escondeu-se atrás do arco-íris), e a PAIXÃO e o DESEJO, no centro dos vulcões.

O ESQUECIMENTO, não recordo-me onde escondeu-se, mas isso não é o mais importante.

Quando a LOUCURA estava lá pelo 999.999, o AMOR ainda não havia encontrado um local para esconder-se, pois todos já estavam ocupados, até que encontrou um roseiral e, carinhosamente, decidiu esconder-se entre suas flores.

– Um milhão – contou a LOUCURA, e começou a busca.

A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas a três passos de uma pedra. Depois, escutou-se a FÉ discutindo com Deus no céu sobre zoologia.

Sentiu-se vibrar a PAIXÃO e o DESEJO nos vulcões.

Em um descuido encontrou a INVEJA, e claro, pode deduzir onde estava o TRIUNFO.

O EGOÍSMO, não teve nem que procurá-lo. Ele sozinho saiu disparado de seu esconderijo, que na verdade era um ninho de vespas.

De tanto caminhar, a LOUCURA sentiu sede, e ao aproximar-se de um lago descobriu a BELEZA.

A DÚVIDA foi mais fácil ainda, pois a encontrou sentada sobre uma cerca sem decidir de que lado esconder-se.

E assim foi encontrando a todos.

O TALENTO entre a erva fresca; a ANGÚSTIA em uma cova escura;

a MENTIRA atrás do arco-íris (mentira, estava no fundo do oceano);

e até o ESQUECIMENTO, a quem já havia esquecido que estava brincando de esconde-esconde.

Apenas o AMOR não aparecia em nenhum local.

A LOUCURA procurou atrás de cada árvore, em baixo de cada rocha do planeta, e em cima das montanhas.

Quando estava a ponto de dar-se por vencida, encontrou um roseiral.

Pegou uma forquilha e começou a mover os ramos, quando no mesmo instante, escutou-se um doloroso grito.

Os espinhos tinham ferido o AMOR nos olhos.

A LOUCURA não sabia o que fazer para desculpar-se chorou, rezou, implorou, pediu perdão e até prometeu ser seu guia.

Desde então, desde que pela primeira vez se brincou de esconde-esconde na terra: O AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha.


Bem vindo Junho!

Author: Vcustomizando  /  Category: Imagem, Outros Momentos

“Que junho me traga todos os sorrisos que maio me roubou.
Que venha com bons ventos que me traga sorte e amor,que não me deixe sofrer por favor.
Que esse mês tudo dê certo.”

Caio Fernando Abreu


My Stick Family from WiddlyTinks.com